07 Junho 2017

Em primeiro lugar vem a prática, depois a teoria - Parte 1

Escrito por  Publicado em Blog

Quando eu era menino eu me interessava por fios, tomadas e lâmpadas. Lembro que meu pai havia me mostrado e explicado como um interruptor funcionava. Eu ficava acendendo e apagando a lâmpada, fascinado com a velocidade com que a eletricidade percorria os fios. Acreditava que sabia tudo desse assunto. Até que um dia me surpreendi com uma lâmpada em uma casa operada por dois interruptores, um em cada canto dessa sala: se a lâmpada estivesse acesa, qualquer um dos dois a apagava; e se estivesse apagada qualquer um a acenderia. Passei meses em conjecturas tentando entender como aquilo era possível. Discutia com outros meninos, procurava em livros, fazia experimentos... eu não conseguia ver como era possível fazer tal ligação elétrica.

 

 Até que um dia, meu pai se voluntariou a ajudar a refazer a instalação elétrica de uma escola do bairro. Eu fui junto, como ajudante. Qual não foi minha alegria ao ver que existiam salas com dois interruptores. Meu pai não precisou de mais de dois minutos para me mostrar como aquilo funcionava. Compreendi instantaneamente, com um prazer indescritível. E passei a me perguntar como seria a ligação de uma lâmpada operada por três interruptores. Nem meu pai sabia dizer. Só consegui responder anos mais tarde, quando era estudante de engenharia.

Hoje, eu me lembro dessa experiência e consigo perceber como é poderosa a técnica de aprendizado chamada de PBL - Problem Based Learning, ou seja, Aprendizado Baseado em Problemas. Pensar em como ela pode ser transplantada nas escolas é até óbvio. Nas aulas ou em um ambiente de aprendizado online, inicie os novos temas com desafios aos estudantes. Proponha um problema dentro desse novo tema para eles resolverem sozinhos ou em grupos. Dê tempo para eles pensarem, trocarem ideias, buscarem informação e chegarem a alguma conclusão (certa ou errada, não importa). Depois, somente depois, apresente a matéria. Verá que tudo fará mais sentido aos alunos. Eles estarão motivados e ansiosos por aprender. Até demonstrarão alegria em saber a resposta do desafio que acabaram de enfrentar!

Os programas educacionais online, ou mesmo os híbridos (presenciais com apoio online), podem incorporar esse modelo de aprendizagem com naturalidade. Isso porque o conteúdo desses cursos são preparados sob medida para cada curso, e são utilizados e reutilizados a cada nova oferta do mesmo curso. Por isso, o investimento em preparar um conteúdo onde cada capítulo inicia-se com um desafio, torna-se viável. E ainda, os processos online permitem utilizar os mecanismos de fórum para que os estudantes, distribuídos em pequenos grupos, discutam e busquem o caminho da solução, supervisionados pelo professor. A função do professor é orientar os estudantes, seja pelo fórum ou seja por vídeo conferência em grupo ou individual, como buscar os elementos que lhes permitirão formular a solução.

A tecnologia pode ser formatada para permitir que escolas adotem o método PBL, e professores sejam apoiados e orientados em seu novo papel, e alunos tenham um espaço protegido onde experimentam e discutem os caminhos.

 

Edson Fregni
Sócio fundador da Sciere Tecnologias Educacionais e professor da Escola Politécnica da USP

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.